AUTOR

TEMPO DE LEITURA

4.1 min

PUBLICADO EM

05/08/2022

Convidada pelo sommelier Abel Mendes participei da degustação de vinhos uruguaios da Bodega Garzón na Enoteca Salut, no Rio de Janeiro.

Esta vinícola do Uruguai elabora excelentes vinhos da uva Tannat e a degustação foi conduzida pelos sommeliers Abel Mendes e Jorge Silva Junior, com a presença de membros da Associação Brasileira de Sommeliers do Rio de Janeiro (ABS-RJ). Um evento que se mostrou imperdível!

Além da ampla sala de degustação, a Enoteca Salut tem um mezanino para eventos especiais e uma cave subterrânea, com acesso exclusivo e total privacidade para 12 pessoas. A cozinha está a cargo do chef Ecio Cordeiro de Mello e o sommelier Abel Mendes apresenta sugestões de harmonização a partir dos mil rótulos da Enoteca Salut.

Cave Salut.

A Bodega Garzón é uma adega autossustentável em Punta del Este, Litoral do Uruguai. Tem um terroir excepcional com a influência do Oceano Atlântico sobre os vinhedos e um bom portfólio de vinhos Tannat, Pinot Noir, Merlot, Petit Verdot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Marselan, Albariño, Viognier, Sauvignon Blanc e Pinot Grigio.

Bodega Garzón.

Sauvignon Blanc

Ele tem cor pálida e notas esverdeadas, aromas muito frescos, salinos e marcadamente cítricos.

Na sua passagem pela boca apresenta um ataque refrescante com marcada acidez e mineralidade, um corpo leve, porém com muita personalidade e um final longo e persistente.

Teor alcoólico de 13%.

Ganhou 93 pontos no Descorchados 2021.

É vinho ideal para acompanhar pratos com mariscos, comidas picantes e variedade de queijos, como ricota, brie, camembert, queijo feta e queijo de cabra. É um excelente aperitivo e o parceiro ideal da cozinha grega e armena ou uma simples salada Caesar de frango.

Marselan

Com uma profunda cor vermelha, o Marselan apresenta aroma que conjuga notas de frutos vermelhos, mineral, hortelã e eucaliptos. Suave no paladar, tem final intenso e prolongado que resulta em um vinho de grande personalidade em que se destaca uma expressão marcada de frutos vermelhos maduros, com notas minerais.

Teor alcóolico de 14,5%.

Recebeu 90 pontos de Tim Atkin 2020.

Este tinto é indicado para acompanhar carnes assadas com vegetais a provençal ou cozidos de porco com linguiça, feijões e batatas. Vai bem também com os queijos fortes e de aromas intensos.

CONHEÇA: Apreciando vinhos gregos

Merlot Single Vineyard

O Merlot da Garzón tem cor vermelha rubi intensa e se abre em nariz expressando agradável aroma que lembra a ameixa, junto com uma suave textura e taninos amáveis que fazem dele um vinho persistente e perfeitamente equilibrado.

O teor alcoólico é de 14,5%.

Obteve 94 pontos no Descorchados 2018 e medalha de bronze no Decanter World Wine Awards 2019.

Suas frutas vermelhas e pretas fazem o vinho par perfeito para pratos tradicionais franceses, boeuf bourguignon ou bistec au poivre, que harmonizam perfeitamente com

Braseados de aves com ervas grelhadas ou pratos de cordeiro rosado com especiarias, também vão bem com este Merlot

É um vinho delicioso.

Tannat Single Vineyard

De cor púrpura intensa, este potente Tannat apresenta-se elegante em nariz, com aromas que lembram frutas vermelhas como cerejas e morangos, ameixas pretas, tabaco e chocolate preto sobre um fundo de especiarias.

Em boca é suculento e fresco, apresenta um corpo envolvente com uma sensação muito agradável e um final longo e vibrante.

O teor alcoólico é de 14,5%.

Obteve 94 pontos James Suckling 2018, 94 pontos no Descorchados 2020 e 92 pontos na Wine Enthusiast.

O Tannat Vineyard tem grande estrutura que acompanhando pratos com cordeiro, especialmente se for e origem uruguaia, quando faz combinação ideal.

Queijos curados como o parmesão ou cassoulet de pato permitem expressar suas notas com especiarias, aliado ideal da cozinha tradicional francesa.

É um ótimo vinho e, para o meu paladar, foi a estrela do evento.

Jorge Silva Junior, Bete Yang e Abel Mendes.

Tim tim!!!

Bete Yang, é Engenheira Civil, formada em 1975 pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, é enófila desde 1996 quando visitou região vinícola de Stellenbosch na África do Sul. Fez cursos de vinhos em Curitiba, no Vale dos Vinhedos (RS), na Associação Brasileira de Sommeliers/RJ, em Rioja (Espanha) e na Ecole du Vin de Saint-Émilion (França). Desde 2017 é membro do Viniep (Confraria de vinho do IEP- Instituto de Engenharia do Paraná). Visitou mais de 170 vinícolas na Europa, América do Norte e do Sul, África do Sul e Oceania. bete_yang@yahoo.com

Fotos: Bete Yang

 

 

 

 

 

 

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS
  1. Helio Sugai 5 de agosto de 2022 at 13:45 - Reply

    Você, apresentando excelente matéria, como sempre! Eu, tentando aprendendo como sempre!
    Parabéns!