AUTOR

TEMPO DE LEITURA

2 min

PUBLICADO EM

05/07/2017

No que você repara quando encontra alguém pela primeira vez? E o que isso lhe diz sobre a pessoa?

Essas foram as perguntas que eu fiz há algumas semanas nas minhas redes sociais.

As respostas recorrentes: olhar, expressões faciais, gestual, roupas, sorriso, dentes, pés, mãos – que foram relacionadas a confiabilidade, credibilidade, gentileza, se a pessoa se cuida ou não.

É fato: quando encontramos alguém pela primeira vez, fazemos um tipo de julgamento (não intencional), e isso acontece em frações de segundos, antes mesmo de conversarmos com ela.

As impressões que os outros têm de nós em um primeiro contato derivam, principalmente da nossa comunicação não verbal: contato visual, expressões faciais e corporais, aparência, toque e a maneira como ocupamos o espaço.

Se analisarmos, fazemos um julgamento profundo, baseados em sensações. Certos ou não, decidimos quem o outro é a partir de nossas sensações. O problema é que essa decisão vai reger a forma como vou me comunicar com essa pessoa: funciona como um filtro de comunicação. Não nos relacionamos com o outro como ele se vê, mas sim, como nós o vemos. Isso determina o grau de abertura que daremos e até mesmo o tipo de relação que iremos estabelecer com ela.

Não é assim? As vezes acabamos de conhecer alguém e ele nos parece tão familiar que temos vontade de ficar horas conversando. Em outros momentos, conhecemos uma pessoa que nos causa uma sensação ruim, estranha: olhamos no relógio torcendo para o tempo passar depressa e aquele encontro terminar.

Pesquisas apontam que mudar definitivamente essa primeira impressão pode levar até seis meses (considerando uma interação constante), isso porque tendemos a atribuir maior valor a nossa primeira impressão – que está ligada aos nossos instintos básicos-  do que as se formam posteriormente e são mais racionais.

E você: que atenção dá a sua imagem pessoal? Já parou para refletir se as impressões e sensações que está gerando no outro estão coerentes com o que você quer transmitir? Pergunte a algumas pessoas próximas se elas se lembram de quando vocês se viram pela primeira vez e aproveite para contar para elas como as viu.

Karla Giacomet, consultora de imagem

Publicado na Now Boarding – agosto/2017

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS