AUTOR

TEMPO DE LEITURA

2.3 min

PUBLICADO EM

05/11/2016

Em nossa edição de abril testamos a Pick-up Oroch Dynamique 1.6 e agora o Aeroporto Jornal recebeu uma unidade da Renault SUV Duster Dynamique 1.6 16V 2017 na cor marrom safári. Seu preço de tabela nesta configuração é de R$ 76.560,00.

Não houve nenhuma modificação na parte mecânica desta versão com motor 1.6 16v, ao contrário do que a Renault fez nos 2.0. Nem ao menos colocaram a direção eletro/hidráulica e também não eliminaram o tanquinho para partida a frio. Mesmo assim conseguimos notar detalhes interessantes no conjunto geral.

Carro robusto

A Duster possui um interior espaçoso, sem luxo, mas bem-acabado. É um carro robusto, durável e com uma excelente posição de dirigir. O interior com os bancos revestidos em couro de dois tons (opcional), cinza e marrom, ficou bem agradável. Peca, contudo, em não ter cinto de três pontos para o ocupante do meio no banco traseiro, mas tem apoio de cabeça para todos.

Uma somatória de pequenos detalhes fáceis de resolver para o fabricante permitiria que o Duster conquistasse uma melhor posição no mercado. Faltam, por exemplo, um descansa braço no banco do motorista, um espelho retrovisor eletrocrômico, luzes de cortesia nos espelhos do para-sol, reostato no painel e medidor de temperatura do motor. Sem contar que poderia ter freios a disco nas quatro rodas, que até o antigo Scénic tinha, mas daí já é pedir demais, ou não? Controle de tração e de estabilidade também não aparecem no horizonte. Uma crítica desde o seu lançamento foi sanada, o controle dos espelhos retrovisores agora está na porta, em cima dos comandos dos vidros, que também passaram a ser todos de um toque. O eficiente sistema MEDIA Nav Evolution ganhou câmera de ré.  Completo e fácil de operar, ainda conta com comandos satélite na coluna de direção, atrás do volante, típico dos Renault.

Consumo

Equipado com pneus Bridgestone Duhler HT 684 II, 215/65/r16, ele absorve bem as irregularidades do piso, mas na estrada gera um ruído de rolagem acima da média. Somado a isso, o ruído aerodinâmico em velocidade de cruzeiro (110km/h) chegou a incomodar, ao contrário da Oroch, que até elogiamos neste quesito. O Ar condicionado também faz barulho toda vez que o compressor é acionado.

Rodamos ao todo 413,5 km num percurso cidade/estrada e fizemos ótimos 12,1 Km/l com gasolina. Seu motor 1.6 16 v de 110cv na gasolina / 115 no álcool, com câmbio manual de 5 marchas se mostrou adequado para o porte do carro. Mas, se puder investir mais, compre a versão 2.0 que teve melhoramentos mecânicos consideráveis.

Carlos Fernando Schrappe Borges

Publicado no Aeroporto Jornal – novembro/2016

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS