O Paraná está caminhando para transformar margens de rios e reservatórios artificiais em áreas de potencial atração turística. Semana passada o secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest), Márcio Nunes, percorreu as margens do Rio Paraná, no Oeste do Estado, para identificar os locais de turismo em água doce.

Segundo Nunes, “o Paraná tem um grande potencial de água doce que pode ser explorada para o turismo. É um manancial de água limpa que, além de linda, tem uma temperatura agradável, acima de 25 graus”.

Marcio Nunes visitou as margens do Rio Paraná, no Oeste, para identificar potenciais de turismo em água doce. Foto Sedest

Em Santa Helena a visita foi para conhecer a antiga estrutura do antigo Iapar/Emater (atual IDR), localizada na antiga Base Náutica do município. O local tem como proposta gerar conhecimento científico, desenvolver e transferir tecnologias e formar e capacitar profissionais para o desenvolvimento sustentável da agropecuária paranaense. Em Itaipulândia, a visita foi na Base Náutica, cujo lago é polo de pesca esportiva e permite atividades de travessia de canoagem e vela, com atracadouro e rampa que facilitam o acesso de barcos.

O oitavo do mundo

Durante a visita na Prainha de Três Lagoas, em Foz do Iguaçu, foi discutida a proposta de criar uma infraestrutura e promover grandes eventos náuticos nacionais. O balneário, cedido pela Itaipu Binacional, tem 400 metros de orla e estrutura recepcionar os turistas, como camping, quiosques, churrasqueiras e estacionamento.

O Rio Paraná faz divisa com Mato Grosso do Sul (MS) e também separa os Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, além de demarcar a fronteira entre Brasil e Paraguai, numa extensão de 190 km até a foz do rio Iguaçu. O Rio Paraná é considerado o oitavo maior rio do mundo em extensão (são 4.880 km) até a foz do Estuário da Prata, e o maior da América do Sul, depois do rio Amazonas.

A proposta da Secretaria é que o turista encontre nesses espaços um produto turístico, com infraestrutura, treinamento e capacitação de profissionais locais. O secretário afirma que o setor é uma mola mestra para a geração de emprego.

A Secretaria já visitou as Usinas Hidrelétricas existentes às margens do Rio Iguaçu, a Base Pelotão Cobra BPFRon, em Entre Rios do Oeste; o Clube Náutico Toledo, em Marechal Cândido Rondon; o Balneário de Vila Yara, em Altônia; o acesso ao rio no Parque Nacional de Ilha Grande, em São Jorge do Patrocínio, local considerado como a prainha da cidade; o Porto Camargo e o Porto Novo em Icaraíma; e o Porto Figueira em Alto Paraíso. Nestas visitas, em encontros com a comunidade e prefeitos, a Sedest mostra a Resolução Conjunta Sedest/IAT nº 023/2019 criada para normatizar projetos ambientais em áreas de preservação.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Foto que abre a matéria: Leonardo Frederico Sguarezi/Acervo EPR

Balneário Terra das Águas /Foto: Prefeitura Santa Helena