AUTOR

TEMPO DE LEITURA

1.7 min

PUBLICADO EM

05/08/2020

Integrantes do Conselho Paranaense Turismo (Cepatur) ouviram hoje (5 de agosto) o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, que participou de reunião do Conselho. Ele foi enfático em afirmar que passada a fase de “sobrevivência do setor”, o Ministério quer reverter a balança comercial do turismo.

Segundo o ministro, a pandemia pode ser a oportunidade de o brasileiro conhecer o Brasil. “Antes da crise, 60 milhões de brasileiros faziam turismo doméstico. Queremos chegar a 100 milhões muito rapidamente”, disse Marcelo. Ele também entende que com a dificuldade e receio de os brasileiros viajarem para fora, “pode trazer um equilíbrio na balança comercial que tem um déficit de US$ 13 milhões porque quando os brasileiros vão para fora gastam US$ 19 bilhões e quando os estrangeiros nos visitam deixam US$ 6 bilhões”.

O ministro lamentou a chegada do vírus. Segundo informou, ano passado enquanto o Brasil cresceu 1,1% o setor avançou 2,6% criando 163% mais empregos em 2091 do que em 2018.

Integração de modais

Marcelo Antonio afirmou que o Brasil foi um dos dez primeiros países a criar um selo de biossegurança e que o Ministério foi o primeiro a apresentar à Casa Civil um plano estratégico após aparecer o Covid-19. Para o ministro, o turismo rodoviário será muito importante na retomada e o Ministério está planejando a integração dos diversos modais para que o brasileiro tenha condições de se locomover e viajar para conhecer “nossos parques nacionais, estaduais e municipais”.

A preocupação do Ministério, disse Marcelo Antonio, é “sair mais inteiro disso para darmos um passo à frente dos outros países”.

Realizada virtualmente, a 81ª primeira reunião do Cepatur teve a presença de 77 conselheiros que ouviram José Eduardo Bekin fazer uma explanação de uma plataforma que estará à disposição dos paranaenses que vai incentivar o turismo interno nas quatorze regiões turísticas mapeadas pela Paraná Turismo. Esta novidade está sendo finalizada e deve ser lançada em poucos dias.

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS