A 480 km da capital Recife, às margens do Rio São Francisco, Belém de São Francisco, no Pernambuco, preserva o charme da cidade do Interior ao mesmo tempo que se coloca como uma das mais importantes regiões de fruticultura da manga em Pernambuco.

Despertando a atenção dos visitantes pelas belezas naturais, a cultura – é de lá o boneco gigante mais antigo do Estado, o Zé Pereira – e a paisagem urbana neoclássica, o município convida ao aprofundamento em sua história a partir de passeios regados a muito banho de rio e da culinária que tem o bode e os peixes de água doce como destaque.

Para os que lá chegam, Belém oferece a possibilidade de diversão em passeios de barco e catamarã pelo Velho Chico, banhos à beira das praias fluviais, como a da Ilha Caxaiú, ou ainda nas bicas do Porto da Barra e do Tadeu.

Belém de São Francisco tem origem que remonta ao surgimento de Fazenda Canabrava nos idos de 1830, na divisa com Cabrobó. A cidade preserva a sua história no seu antigo casario, cujo conjunto arquitetônico remonta às vanguardas artísticas do século 19. Este legado pode ser apreciado nas Igrejas Nossa Senhora do Patrocínio e do Menino Jesus de Praga, que possui 800 m² e integram o belo sítio histórico da cidade, e ainda no Museu Elísio Caribé. Já o Mercado Público ganhou o Brasil em cenas da novela global Senhora do Destino, que teve cenas gravadas na cidade.

Doce de leite e sequilhos

“Belém de São Francisco é um município que tem um forte apreço cultural, além da sua importância como polo de fruticultura no Estado. O centenário de Zé Pereira foi um marco e quem nunca havia ouvido falar na cidade, soube que a tradição dos bonecos gigantes em Pernambuco nasceu em Belém. Além disso, a cidade conta com praias fluviais e ilhas no Velho Chico, que são um produto turístico de muito potencial”, comenta o secretário de Turismo e Lazer de Pernambuco, Rodrigo Novaes.

Entre outras tradições fortes, há também a malhação do Judas, o pastoril e as rodas de São Gonçalo. A gastronomia se destaca pelos pratos com peixes do São Francisco e o tradicional bode assado – com a oferta do bode seco ao sol -, além dos doces típicos do interior, como o doce de leite e sequilhos.

Fonte: Secretaria de Turismo de Pernambuco

Fotos: Arthur de Souza