AUTOR

TEMPO DE LEITURA

5 min

PUBLICADO EM

09/10/2020

Austrália tem muitas regiões vinícolas e Yarra Valley é bem próxima de Melbourne, a 60 km, cerca de uma hora de carro em excelente rodovia. É possível fazer um “bate e volta” com muita tranquilidade, degustar ótimos vinhos e saborear boa gastronomia.

Em um dia no Yarra Valley pudemos visitar e degustar bons vinhos em sete vinícolas: Dominique Portet, Yering Station, Oakridge Wines, Yering, TarraWarra, Soumah e Chandon.

Dominique Portet

A vinícola Domique Portet tem uma sede pitoresca porque parece uma casa de campo, E começamos bem a manhã com deliciosos Chardonnay 2015, Sauvignon blanc 2016, um rose Fontaine 2017 e os tintos Cabernet sauvignon 2014 (elegante e requintado), Cabernet sauvignon Fontaine 2016 (fresco, com personalidade) e um muito bom Shiraz Heathcote 2014. Este Shiraz é proveniente dos solos cambrianos de Heathcote e personifica a graça e concentração com frescor.

Vinícola Dominique Portet

Yering Station

Vinícola Yering Station

Um aspecto positivo na maioria das vinícolas australianas é que se pode fazer degustação sem reserva. Como se depende do GPS para poder localizar essas vinícolas é interessante planejar bem o trajeto para otimizar as visitas.

A Yering Station tem uma sede bonita, com hotel, restaurante, café, sala de degustação e loja.

Degustamos um Chardonnay 2015, Pinot noir 2015 (taninos finos e aveludados), Shiraz Viognier 2015 (elegante, equilibrado e complexo), Cabernet sauvignon 2014 (elegante e equilibrado).

As garrafas variam em torno de US$ 40 e os membros de clube de vinho na Austrália têm desconto no preço. A gente não consegue resistir a loja com muitos produtos locais!

Vendo os vinhedos naquela terra fértil, lembrei de um conceito que havia aprendido em vários cursos de vinho no Brasil de que a planta precisa “sofrer” para extrair os nutrientes do solo. Acho que este conceito não se aplica a esta região verde, cheia de plantas!

Vinícola Yering Station: loja e sala de degustação

Oakridge Wines

Vinícola Oakridge

A Oakridge Wines foi indicada por ter ótimos vinhos e excelente restaurante com três chefs renomados na Austrália. E muito mais: além do impecável vinhedo, belas instalações, espaço para eventos, um ótimo restaurante com vista para o vale.

Costela descontruída

Por indicação do maitre arrisquei em uma costela desconstruída e, claro que recebi o prato com muita desconfiança. Mas quando coloquei provei, realmente me surpreendi e, se fosse possível, teria trazido para minha terra natal para que pudessem experimentar!  Não me contive e pedi para chamar o chef que me explicou como o prato é feito. É muito elaborado, feito com muito tempo e delicioso. O Shiraz Oakridge na boca é frutado, rico, concentrado e com taninos aveludados.

Yarra Yering

Para mim, o dia estava completo depois deste almoço harmonizado na Oakridge, mas não ainda tinha muitas coisa boas ….

E a vinícola Yarra Yering ofereceu-nos vinhos memoráveis Chardonnay 2011 (sabor cítrico, textura vigorosa), Pinot noir 2011 e 2015 (sabor de cereja, taninos definidos, corpo médio, poderoso), Viognier 2011 (aromático, sabor de damasco), Merlot 2010 (brilhante, equilibrado) e Shiraz 2012 (deliciosamente médio encorpado com leve toque de anis), sem nenhum custo para nós. Nestas ocasiões da vontade de trazer tudo na bagagem, principalmente sabendo que este vinho não chega no Brasil.

A Yering já conquistou o prêmio de melhor vinícola da região.

Vinícola Yering

TarraWarra

A vinícola TarraWarra está em uma região linda, com vinhedos à beira de lago e a sala de degustação envidraçada voltada para toda esta paisagem.

O Pinot Noir Reserva 2012 é brilhante, generoso, persistente e bom potencial de guarda.

Vinícola TarraWarra

Soumah

Depois de tantas visitas e degustações no mesmo dia, a gente vai percorrendo as vinícolas pela incerteza de um futuro retorno.

Foi com este sentimento que chegamos na Soumah, com degustação de Chardonnay, Pinot noir, Shiraz neste lugar magico, com tanta beleza.

Vinícola Soumah

Chandon

E o dia já estava escurecendo quando paramos na famosa Chandon, presente em muitos lugares do mundo.

Nossa cota de vinho já tinha atingido o limite mas ainda havia oportunidade para saborear um espumante brut muito bom no meio do vinhedo. Era impossível deixar passar esse momento.

Chandon

Gosto de degustar vinhos nas vinícolas porque a experiência fica mais rica quando se conhece a região, como os vinhos são preparados, sua história e a variedade de rótulos. Além do mais, registro em fotos, anotações e lembro com mais facilidade dos vinhos.

Não consegui encontrar os vinhos do Yarra Valley em Curitiba e já consumi as poucas garrafas que conseguimos trazer na bagagem.

Mas se você encontrar em qualquer lugar do mundo, não deixe de experimentar porque vale muito a pena saborear os bons vinhos australianos cheio de exuberância e muitas vezes elegantes!

Tim tim !!!

Bete Yang, é Engenheira Civil, formada em 1975 pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, é enófila desde 1996 quando visitou região vinícola de Stellenbosch na África do Sul. Fez cursos de vinhos em Curitiba, no Vale dos Vinhedos (RS), na Associação Brasileira de Sommeliers/RJ, em Rioja (Espanha) e na Ecole du Vin de Saint-Émilion (França). Desde 2017 atua como coordenadora do Viniep (Confraria de vinho do IEP- Instituto de Engenharia do Paraná). Visitou mais de 140 vinícolas na Europa, América do Norte e do Sul, África do Sul e Oceaniabete_yang@yahoo.com

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS
  1. Helio Sugai 9 de outubro de 2020 at 15:08 - Reply

    Descrição deliciosa!
    Parabéns pela riqueza na caracterização dos vinhos!

  2. Maria+Elisabete+Yang 9 de outubro de 2020 at 18:58 - Reply

    Obrigada Helio ! Espero que possamos tomar um bom shiraz australiano no Viniep em breve !!! bjs