AUTOR

TEMPO DE LEITURA

1.7 min

PUBLICADO EM

05/11/2015

Museus são registros da história e da memória cultural de um povo. Em Garibaldi, o prédio de 1884 conta hoje com um acervo de mais de 2.700 peças e troca constante de exposições. Quem visita o Museu Municipal revive a história da imigração na região, retratada em cada objeto doado por descendentes de imigrantes. Os quadros das antigas famílias presos às paredes motivam a lembrança dos antepassados e provocam emoção aos que neles reconhecem sua história.

O prédio que hoje abriga o Museu Municipal e o Arquivo Histórico de Garibaldi, foi construído para sediar a Società Italiana di Mutuo Soccorso Stella D’Itália. O local, que abrigava os imigrantes que chegavam a Garibaldi, na Serra Gaúcha, tinha como finalidade unir os italianos com o objetivo patriótico, socorrer os sócios em caso de doenças e desemprego, promovendo também o bem-estar e dando pensão quando impossibilitados de trabalhar.

Imigrante

Sua primeira construção foi em 1878, um prédio com apenas um pavimento e de madeira.

Em 1884, foi construído um novo prédio em alvenaria.

Bem em frente ao antigo, maior, mas ainda com um pavimento.

Recebeu o segundo pavimento e as ornamentações na fachada em 1892. As volutas, elementos curvos nas laterais acima, se assemelham com as extremidades laterais utilizadas na Villa Bárbaro no Vêneto por Andrea Palladio, famoso arquiteto italiano do século XIV.

No pátio, está o monumento em homenagem a Giuseppe Garibaldi e um tronco de árvore petrificada de 245 milhões de anos. No interior, o visitante encontra quatro exposições permanentes: A antiga casa do imigrante italiano; o Memorial de Giuseppe Garibaldi; Arte Sacra e um Consultório Dentário.

O Museu Municipal de Garibaldi está aberto de terça a sábado das 9h às 18h e aos domingos e feriados das 10h às 16h, sem fechar ao meio dia. A entrada é gratuita.

R. Doutor Carlos Barbosa, 77 – (54)3462-8118

Publicado no Aeroporto Jornal – novembro/2015

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS