AUTOR

TEMPO DE LEITURA

1.6 min

PUBLICADO EM

26/10/2020

Uma exposição com 140 obras do período do Renascimento italiano começou a ser exibida no Museu do Louvre, em Paris, e segue aberta até 18 de janeiro de 2021. A mostra deveria ter ocorrido em maio, mas foi adiada para outubro por conta da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

“Corpo e Alma – De Donatello a Michelangelo”, reúne obras-primas do início do século 16, com foco no “máximo esplendor da representação da figura humana”, segundo os organizadores do Museu do Castello Sforzesco de Milão. No destaque principal, “um dos maiores criadores de todos os tempos, Michelangelo”, pontua o Louvre ao apresentar a mostra.

Essa é a segunda exposição do Renascimento italiano no Louvre, com o mesmo nome da primeira em 2013, “Corpo e Alma”. No entanto, há sete anos, os destaques ficaram por conta dos mestres do Renascimento em Florença na primeira metade do século 15.

Dessa vez, porém, o objetivo é mostrar peças criadas tanto em Florença, mas também em Veneza e Roma, e com artistas não tão famosos mundialmente, mas de fundamental relevância. Além disso, os organizadores prometem expor criações que, normalmente, ficam expostas em igrejas, pequenas comunidades ou em porões de museu.

“Nas primeiras duas décadas do século 16, esses elementos levariam a um momento definidor da história da escultura no Renascimento, com a chegada de um dos maiores criadores de todos os tempos, Michelangelo. A exibição irá focar na primária arte de esculpir, mas também explora um número de trabalhos em outros campos (pintura, gravura e desenho”, diz em nota o museu francês.

Após a aparição no Louvre, as peças voltam para a Itália, onde serão expostas no Castello Sforzesco entre 5 de março e 6 de junho de 2021.

Fonte: Ansa

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS