AUTOR

TEMPO DE LEITURA

2.1 min

PUBLICADO EM

05/04/2017

Desde a última coluna, fui marcada em uma postagem de um workshop que fiz falando sobre postura profissional. Uma amiga comentou não ter entendido o que aquele assunto tinha a ver com o meu trabalho, já que eu sou consultora de imagem.

Assim como a minha amiga, muitas pessoas acreditam que quando falamos de imagem, estamos falando só da aparência, quando na verdade, existem mais dois elementos chave: comunicação e comportamento.

Tudo começa na aparência porque a maneira como nos vestimos é a primeira coisa percebida pelo outro. Em frações, a partir de sensações, uma primeira impressão já se forma. Essa impressão pode ser positiva ou negativa.

Sem abrir a boca

Quando se inicia uma interação, entram em jogo os outros elementos, que dizem respeito à forma como nos comunicamos e tratamos o outro. 

A forma como nos comunicamos diz muito sobre quem somos. Assim, somos percebidos pela forma como falamos, sobre o que falamos, nosso tom de voz, se escolhemos o vocabulário adequado.

Também comunicamos sem abrir a boca, e como já falei aqui nesse espaço, é bem mais fácil controlar o que falamos, do que nossas expressões faciais, nossos gestos. 

Por último, mas não menos importante, o terceiro elemento chave é o nosso comportamento, que diz respeito aos nossos gestos, a como tratamos as pessoas, a quanto valor damos ao tempo delas. Tem a ver com gentileza, discrição e empatia.

Desde o momento que abrimos o nosso armário pela manhã, ao “bom dia” que damos (ou não) ao nosso porteiro, e até mesmo aquela careta diante de uma situação inesperada: estamos comunicando! O todo tempo estamos transmitindo mensagens.

E acreditem: não existe roupa neutra, comportamento neutro ou um rosto que não expresse emoções. Então, quando eu escolho gerenciar a minha imagem, eu passo a ter uma ferramenta estratégica ao meu favor. Não se trata de usar imagem de forma manipulativa, mas sim de, conscientemente, tornar visíveis minhas qualidades e o meu jeito especial de fazer algo.

Você já parou para pensar em quais são seus maiores trunfos? Pelo que você quer ser lembrado? Será que sua imagem está alinhada com a marca que você quer deixar? Comece agora mesmo a fazer a gestão da sua imagem e deixe sua marca pessoal por onde passar.

Karla Giacomet, consultora de imagem

Publicado no Aeroporto Jornal – abril/2017

Photo by Ladislav Bona on Unsplash

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS