AUTOR

TEMPO DE LEITURA

1.5 min

PUBLICADO EM

05/10/2016

“Sou profissional e o que importa é meu intelecto, e não a aparência”- se você concorda com a afirmação, te convido a uma reflexão. Não há dúvidas de que o conhecimento, experiência e trajetória profissional contam pontos.

Mas uma aparência mal apresentada pode te sabotar. O investigador americano Ray Birdwhistell fez uma estimativa da proporção verbal/não verbal do comportamento e concluiu que até 55% da mensagem é transmitida via linguagem não verbal.

Se sua fala está desalinhada à imagem, ocorrem ruídos na comunicação, gerando questionamento sobre o que se mostra e o que se é. Quando você abre seu armário pela manhã, não está só escolhendo uma roupa para trabalhar; mas sim como se expressar através da comunicação não verbal. Daí a importância de se atentar não apenas à vestimenta, como também a cada detalhe que constrói da sua imagem.

Algumas situações não combinam com o ambiente coorporativo.

Para elas: Equilibre maquiagem e acessórios sem exageros | Atenção a roupas muito justas, curtas, transparentes ou decotadas | Cuidado com unhas compridas e esmalte descascado.

Para eles: Tênis de academia são para a academia. Se seu ambiente é informal, opte por um modelo esportivo como sapatênis ou mocassim | Meias brancas somente para acompanhar aquele mesmo tênis da academia, nunca com sapatos.

Para ambos: Mesmo em ambientes informais, evite cores muito fortes ou vibrantes como amarelo, laranja, verde limão | Cabelos devem estar sempre lavados | Não exagere nos perfumes que podem incomodar um colega ou cliente | Verifique a conservação das roupas (botões, zíperes, fios puxados) e sapatos.

Karla Giacomet

www.karlagiacomet.com.br

Photo by Priscilla Du Preez on Unsplash

Outras colunas em Imagem Pessoal

Publicado no Aeroporto Jornal – outubro/2016

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS