AUTOR

TEMPO DE LEITURA

2.4 min

PUBLICADO EM

24/09/2021

Reaberto na primeira quinzena deste mês após ficar longo tempo fechado por causa da pandemia da Covid-19, o hotel Tierra Atacama está preparado para receber turistas brasileiros que já podem visitar o Chile. O hotel implementou um amplo protocolo de segurança que segue as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde do Chile (Minsal).

Entre as novidades, agora os hóspedes poderão fazer as refeições tanto no restaurante, que fica dentro do prédio principal do complexo e funciona em dois turnos para reduzir a quantidade de pessoas, além de utilizar cardápios digitais, quanto no quincho. Essa estrutura tipicamente chilena fica ao ar livre, em meio aos jardins da propriedade, o que permite aproveitar as experiências gastronômicas com vista para as belas paisagens naturais da região, como o vulcão Licancabur.

E a cozinha do Tierra Atacama modificou a forma como as receitas são servidas. Algumas delas vão empratadas da cozinha direto à mesa. Outras integram o buffet assistido, em que visitante indica o que deseja comer e os funcionários do hotel se encarregam de colocar nos pratos.

As atividades em grupo também foram repensadas para o novo cenário do turismo. O traslado do aeroporto ao hotel, por exemplo, é feito com, no máximo, seis pessoas por van, mantendo espaço entre quem não estiver viajando junto. O mesmo acontece durante as excursões pela região, que exigem o uso de máscara durante todo o percurso. O uso de máscara é exigido do hóspede.

O hotel oferece apartamentos familiares que acomodam até seis pessoas em dois andares.

Divulgação

Regras para a entrada

O Chile manteve suas fronteiras fechadas durante boa parte do período de pandemia. Com o avanço da vacinação no país e no mundo, o governo anunciou que irá receber viajantes estrangeiros a partir de 1º de outubro. Quem quiser visitar o destino, contudo, precisa seguir algumas regras.

A primeira exigência é que o viajante apresente seu certificado de esquema vacinal completo contra a Covid-19. A segunda dose ou dose única deve ter sido aplicada, pelo menos, quatorze dias antes da chegada ao país. Atualmente, os imunizantes reconhecidos pelo Chile são: Moderna, Pfizer/BioNTech, Janssen (Johnson&Johnson), Oxford/AstraZeneca, Sinopharm, Sinovac (no Brasil também chamada de CoronaVac), CanSino e Generium (Sputnik-V).

Brasileiros que pretendem visitar cidades chilenas devem apresentar teste RT-PCR feito até 72 horas antes do embarque e contratar um plano de seguro-saúde com cobertura mínima de US$ 30 mil. Além disso, é preciso cumprir quarentenas de cinco dias (para quem tiver passe de mobilidade chileno, que pode ser solicitado online) ou de sete dias (para quem não tiver o documento sanitário) após a chegada.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS