AUTOR

TEMPO DE LEITURA

1.6 min

PUBLICADO EM

29/11/2020

Após quase 24 anos de ausência, o quadro “Retrato de uma Senhora”, do pintor austríaco Gustav Klimt (1862-1918), retornou para a Galeria de Arte Moderna Ricci Oddi, em Piacenza, norte da Itália.

A tela havia sido roubada em janeiro de 1997 e foi encontrada em dezembro passado, escondida em um vão externo do mesmo museu. Até hoje o paradeiro do quadro durante esses anos segue sendo um mistério.

Como os museus italianos estão fechados por causa da pandemia do novo coronavírus, o quadro ainda não está exposto ao público, mas sua volta à galeria de Piacenza foi transmitida ao vivo por streaming.

“O retorno do ‘Retrato de uma Senhora’, de Gustav Klimt, à Galeria de Arte Moderna Ricci Oddi é um momento muito importante porque essa obra-prima representa uma parte da identidade de Piacenza”, disse o presidente do museu, Massimo Ferrari.

Dois italianos com longa ficha corrida disseram ser os responsáveis pelo roubo, mas apenas em entrevistas à imprensa, valendo-se do direito de ficar calados perante a Justiça. A tela de Klimt foi colocada em uma sala central da galeria e está protegida por uma barreira de vidro.

Fonte: Ansa

Foto: Ansa

A Galeria

 A Galeria Ricci Oddi  foi inaugurada em 11 de outubro de 1931, na ausência do doador, tímido demais para participar da cerimônia com a presença dos príncipes do Piemonte, Umberto e Maria José de Sabóia.

Nos anos seguintes, continuaram as compras, que o fundador cedeu diretamente (são dezenas de obras, entre as quais surge  Donna in barca de Felice Casorati , da Bienal de 1934).

Com a morte de Giuseppe Ricci Oddi, em 1937, descobriu-se que ele havia deixado quase todo o dinheiro, ações e até joias da família para seu museu para permitir a gestão e enriquecimento contínuo do acervo (a desvalorização da lira após a Segunda Guerra Mundial tornou o capital, usado em títulos do governo, inútil).

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS