O Panamá quer ser mais, para os brasileiros, do que um hub que conecta 89 cidades a partir do seu aeroporto. Fernando Fondevilla, diretor geral da Promptur Panamá, afirma que a “intenção é mostrar as atrações do Panamá para o mercado brasileiro, e assim estreitar os laços. A capital panamenha, por exemplo, é a única que tem uma selva dentro de seus limites. E somos um destino seguro e de fácil acesso a partir do Brasil”. A diversidade turística do país, com muitos patrimônios naturais e culturais com infraestrutura e facilidade de acesso estão ao acesso dos turistas brasileiros a partir de cinco aeroportos no país.

O país é uma agradável surpresa turística, destino ideal que oferece amplo leque de atrativos turísticos, incluindo belas paisagens, praias paradisíacas, ótimas opções de compras, uma gama de experiências para desfrutar e relaxar.

Hoje todos os viajantes devem apresentar teste RT-PCR negativo para Covid-19 ou teste de antígeno no máximo 48 horas após a chegada ao Panamá. Caso não seja possível apresentar a prova no prazo estabelecido, deverá ser realizada no aeroporto uma prova rápida, antes de sua passagem pela migração ao valor de US$ 50. Mas quem chega ao Panamá proveniente da América do Sul, deve realizar um teste adicional, ao custo de US$ 85. Se der positivo, o viajante será colocado em quarentena de quatorze dias sem despesa. Caso dê negativo também, porém por três dias, em um hotel designado pelo Ministério da Saúde. Ao final deste período, outro teste será feito.

O Panamá não é apenas o centro das Américas, é também o centro entre uma vida cosmopolita ativa e culturas ancestrais, da modernidade e tradição, lar de inúmeras espécies, selvas misteriosas e praias ensolaradas. Os turistas podem desfrutar da rica história, cultura e beleza natural, destacando-se três patrimônios panamenhos:

Patrimônio Cultural

Narra a história do Panamá como a Ponte do Mundo, conectando atrações de classe mundial como a Cidade Velha (Patrimônio Mundial da Unesco); o mundialmente famoso Canal do Panamá; a primeira ferrovia interoceânica, entre outras.

Além disso, os circuitos culturais mostram sua diversidade, oferecendo experiências através das três principais culturas do Panamá: seus sete grupos indígenas, herança afro-caribenha, incluindo a cultura do Congo (Patrimônio Imaterial da Unesco) e a colorida cultura colonial espanhola.

A diversidade cultural também é vivenciada no âmbito gastronômico, com a Unesco reconhecendo a Cidade do Panamá como uma cidade criativa em gastronomia.

Patrimônio Verde

Desde a formação do istmo do Panamá, há três milhões de anos, houve uma grande troca de espécies entre as Américas do Norte e do Sul, proporcionando ao país uma biodiversidade extraordinária.

Parque Nacional de Darien

As rotas do Patrimônio Verde levam o visitante por parques nacionais, áreas protegidas e reservas privadas na floresta neotropical do Panamá (um terço do país está protegido), incluindo experiências através dos centros de visitantes do Instituto Smithsonian Tropical Research. Sendo uma delas o Monumento Natural Barro Colorado na bacia do Canal do Panamá, considerada a floresta tropical mais estudada do mundo.

Patrimônio Azul

Há três milhões de anos, com a criação da ponte terrestre istmo do Panamá, os oceanos Caribe e Pacífico se separaram, tornando-se distintos em termos de marés, clima e fauna marinha.

As experiências oferecidas nos diversos ecossistemas das rotas do Patrimônio Azul incluem a observação de baleias nos arredores do Parque Nacional de Coiba (Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco) e a admiração dos projetos de conservação de tartarugas no Oceano Pacífico. Além da exploração das águas caribenhas azul turquesa de Bocas del Toro, reconhecidas como “Hope Spot” pela Mission Blue, a iniciativa liderada por Sylvia Earle, exploradora da National Geographic.

O ministro de Turismo do Panamá, Iván Eskildsen, diz que com o Plano Maestro de Turismo Sustentável, o país abre novos caminhos para explorar seus patrimônios e por isso, os brasileiros “podem conhecer as muitas experiências e recordações que o Panamá pode proporcionar”.

A proposta é destacar o Panamá como um destino turístico, tendo a sustentabilidade como um dos pilares aliado à autenticidade de seus diversos ativos e atrativos. O plano está focado na reativação progressiva da indústria do turismo no país, após a pandemia. Mas, mesmo neste momento, o Panamá é uma opção para os brasileiros que querem viajar para o Exterior e buscam mais contato com a natureza, experiências ao ar livre e praias para relaxar.

Fonte: Assessoria de Imprensa

A foto que abre a matéria é Escudo de Veraguas  que fica na região indígena de Ngäbe – Buglé, no Mar do Caribe