AUTOR

TEMPO DE LEITURA

2.4 min

PUBLICADO EM

16/08/2020

A Ilha Isola Madre, em Taranto, na região da Puglia, Itália, lançou um projeto e vende casas por apenas 1 euro como forma de repovoamento da região italiana. A decisão foi tomada pela Câmara Municipal de Taranto por meio de um edital, onde estão disponíveis todas as informações sobre os imóveis, e diz respeito a sete edifícios localizados na “cidade velha”.

Segundo o documento, todos os interessados, como empresas, agências ou cidadãos, têm até 20 de novembro para apresentarem suas propostas.

“Um euro é uma contribuição simbólica para um objetivo histórico: repovoar a Cidade Velha, nossa Isola Madre depois de décadas”, disse o prefeito de Taranto, Rinaldi Melucci.

Localizada no sul da Itália, a Isola Madre remonta a um antigo povoado construído entre dois mares, fundado em 706 a.C. A região chegou a ser destruída mais de um milênio depois e foi reconstruída em 927 pelo imperador bizantino Niceforo II Focas, com a ajuda de arquitetos gregos.

Com sua ruelas estreitas, “o encanto de Taranto e a sua história já se revelaram um poderoso atrativo”, acrescentou Melucci, destacando o interesse “de todo o mundo”.

De acordo com o prefeito italiano, o município fará uma lista com as propostas e em seguida avaliará todas as candidatas seguindo três parâmetros principais: eco sustentabilidade; destinação do projeto; e contrato de patrocínio. Os escolhidos terão um ano para iniciar a obra no local. 

Fonte: Ansa

A ilha

As fontes históricas disponíveis indicam que já em meados do século IX a ilha tinha uma igreja com ábside e planta quadrada, provavelmente dedicada a San Vittore, um cemitério, cuja existência é recordada pelo actual scala dei morti (“Escadaria dos Mortos”), e possivelmente algumas pequenas estruturas militares.

Sabe-se com segurança que se cultivavam aqui oliveiras, cujo azeite seria empregue em cerimónias sacras.

Em 1501, Lancillotto Borromeo, um dos cinco filhos de Giovanni III Borromeo e de Cleofe Pio di Carpi, introduziu na ilha limoeiros da Ligúria e trouxe, para aí morar e cuidar das árvores, um hortelão.

Lancillotto iniciou a construção de uma residência familiar na ilha que, em na década de 1580, foi ampliada no estilo renascentista por Renato I Borromeo. Foi por esta época que se iniciou uma excepcional dinastia de jardineiros, os Della Torre, que residiram na Isola Madre até inícios do século XIX.

A partir de 1823-25, por iniciativa do conde Giberto V e Vitaliano IX Borromeo Arese, por mão de Renato I, Giacomo e Francesco Rovelli, uma família de jardineiros originária de Monza, a parte dedicada a pomar da ilha foi convertida num jardim romântico inglês, que é hoje considerado um dos melhores exemplos do estilo em Itália.

Fonte: Wikipédia

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS