AUTOR

TEMPO DE LEITURA

4 min

PUBLICADO EM

17/09/2020

Dois projetos de circuitos turísticos de cicloturismo iniciaram tramitação na Assembleia Legislativa do Paraná: um integra sete cidades e foi denominado de Pé Vermelho, e o outro, une outras vinte cidades.

Norte Pioneiro

Vinte cidades do Norte Pioneiro podem se integrar no Circuito Cicloturístico Rota Norte Pioneiro. Um projeto nesse sentido foi apresentado ontem (16 de setembro) pelos deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) e Goura (PDT) na Assembleia Legislativa. O projeto leva o número 552/2020.

Em seis pontos, o projeto objetiva desde o incentivo ao uso da bicicleta e ao turismo ecológico até o desenvolvimento dos arranjos produtivos locais e a movimentação da economia de Cornélio Procópio e dos municípios vizinhos.

“O cicloturismo é uma modalidade em que se utiliza a bicicleta não somente como meio de transporte, mas como uma parceira de viagem. O cicloturista diferencia-se do turista comum, pois seu objetivo não é simplesmente chegar ao destino final, mas aproveitar o caminho que geralmente consiste em estradas rurais e secundárias recheadas de atrativos naturais e culturais”, diz Romanelli o justificar a iniciativa.

Romanelli destaca ainda que os cicloturistas movimentam a economia local e interagem muito mais com os moradores da região. “Uma outra vantagem é que a prática não demanda grandes obras ou investimentos. A criação de estruturas e medidas simples e eficazes podem atrair mais participantes e movimentar regiões que antes não seriam exploradas turisticamente.

Os municípios

Integram o circuito Cornélio Procópio, Andirá, Bandeirantes, Cambará, Carlópolis, Congonhinhas, Ibaiti, Itambaracá, Jacarezinho, Nova Fátima, Ribeirão Claro, Ribeirão do Pinhal, Santa Mariana, Santo Antônio da Platina, Santo Antônio do Paraíso, São Jerônimo da Serra, Siqueira Campos, Tomazina, Nova Fátima e Wenceslau Braz.

As prefeituras poderão definir, dentro dos limites do respectivo município, o traçado da rota que fará parte do Circuito de forma integrada com as rotas das cidades vizinhas, mapear e divulgar os atrativos e produtos turísticos da região, disponibilizar informações e oferecer matérias das rotas, atrativos e produtos turísticos em meios de comunicação físicos e virtuais, como mapas, cartilhas, certificados, passaportes, sites e aplicativos e ainda formar consórcios para a implantação, administração, manutenção e gestão dos circuitos.

“Com a implantação de circuitos cicloturisticos, a cooperação entre Estado e municípios será fortalecida. O Estado definirá o circuito e a sinalização adequada e os municípios, além da efetivação da rota e assistência aos ciclistas, vão disponibilizar uma estrutura cicloviária para uso diário dos moradores”, completa Romanelli.

Pé Vermelho

Já o deputado estadual Cobra Repórter (PSD) protocolou na terça (15 de setembro) o projeto de lei 549/2020 para instituir o Circuito Cicloturístico Pé Vermelho, integrado por trechos e trilhas que cruzam os municípios de Jataizinho, Ibiporã, Londrina, Cambé, Rolândia, Arapongas e Tamarana.

“Queremos, além do bem-estar físico e mental das pessoas, atrair desenvolvimento regional, geração de renda, trabalho e novas perspectivas para a economia do Norte do Paraná, por intermédio do cicloturismo em uma das mais belas rotas já traçadas, um circuito com trechos e trilhas digno do povo Pé Vermelho”, destacou.

O deputado explica que o Circuito Cicloturístico Pé Vermelho, nasceu de desbravadoras ciclistas, dentre elas a atleta Patrícia Oliveira, idealizadora do projeto que visa ressaltar as paisagens de grande riqueza natural e já é bastante frequentado por diversos ciclistas de diferentes grupos de Rolândia e de toda a Região, como o Clube Rolandense de Ciclismo, Força no Pedal, Aposentados do Pedal, Grupo Caviúna Bike, além de integrantes do Conselho Municipal de Turismo de Rolândia.

5 a 7 dias

A idealização no formato de Circuito é para que o trajeto conte com rota demarcada e acessível via internet, contemplando belezas naturais, monumentos de fé e desafios de superação de limites em Londrina e região metropolitana. O esboço do projeto foi apresentado a ciclistas de diferentes grupos, que abraçaram a ideia e estão implementando o projeto.

O grupo está trabalhando na construção das rotas, na busca de parcerias para apoio financeiro e no fechamento de equipes que darão suporte ao circuito em cada município. Em Rolândia, por exemplo, esta equipe já foi criada e conta com entidades civis e pública, incluindo clubes de pedal e de serviços, imprensa e do Conselho Municipal de Turismo.

“O circuito completo é programado para um cicloturismo de 5 a 7 dias. Com isso, o cicloturista irá dormir nas cidades e aproveitar outros atrativos e trilhas, fomentando ainda mais a economia local”, explicou o deputado.

Fonte: Assembleia Legislativa do Paraná

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS