AUTOR

TEMPO DE LEITURA

2 min

PUBLICADO EM

28/09/2020

Um raro quadro do artista italiano Sandro Botticelli (1445-1510), um dos ícones do Renascimento, será leiloado em 21 de janeiro de 2021, em Nova York, informou a casa Sotheby’s.

A pintura “Young Man Holding a Roundel”, que está em excelente estado, retrata um jovem homem segurando nas mãos um medalhão.

O quadro foi feito por Botticelli há cerca de 550 anos e é considerado pela Sotheby’s como “um dos mais significativos retratos a aparecer em um leilão”.

A obra do século 15 de Botticelli deve alcançar no leilão mais de US$ 80 milhões. A casa de leilões defende que o quadro pode ser vendido por mais de US$ 100 milhões.

Poucas obras de arte foram leiloadas por mais de US$ 100 milhões. A última foi “Meules”, do pintor francês Claude Monet, que foi vendida em 2019 por US$ 110 milhões. 

Fonte: Ansa

Botticelli, o pequeno tonel

Alessandro di Mariano di Vanni Filipepi ou Sandro Botticelli (Florença1º de março de 1445 – 17 de maio de 1510), foi um pintor italiano. Assim como um de seus irmãos, havia sido apelidado de “botticelli”, que significa em italiano “pequeno tonel”, o epíteto substitui o “es panucam” sobrenome de família, passando a identificar o futuro pintor. Aprendiz no ateliê de Filippo Lippi, estudou na Escola Florentina do Renascimento e igualmente receptivo às aquisições introduzidas por Masaccio na pintura do Quatrocento e às tendências do Gótico tardio, seguiu os preceitos da perspectiva central e estudou as esculturas da Antiguidade, evoluindo posteriormente para a acentuação das formas decorativas e da atenção dispensada à harmonia linear do traçado e ao vigor e pureza do colorido. Suas obras tardias revelariam ainda um expressionismo trágico, de agitação visionária, fruto certamente da pregação de Savonarola. Sandro Botticelli usava todas as cores, em especial cores frias.

Foi ainda destacado retratista e seu talento excepcional de transpor para a linguagem formal as concepções de seus clientes tornou-o um dos pintores mais disputados de seu tempo. Sua reputação, alvo de um curto reavivar de interesse no século XVI, logo esvaiu-se, e somente com o reaparecimento de uma crescente curiosidade pelo Renascimento, registrada no século XIX, e, em particular, pela interpretação filosófica de suas obras, é que sua arte volta a adquirir o êxito e a fama que mantém até hoje.

Fonte: Wikipédia

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS