AUTOR

TEMPO DE LEITURA

4.3 min

PUBLICADO EM

16/07/2020

A PROTESTE, Associação de Consumidores, orienta os consumidores sobre as avaliação falsas que são encontradas em diversos sites de e-commerce. Ao comprar um produto ou serviço on-line , sempre é interessante conhecer a opinião de outros consumidores. Porém, em alguns casos essas avaliações são falsas, estimuladas pelas empresas fornecedoras ou mesmo por chatbots, que são algoritmos de internet que se passam por usuários da rede.

A prática tem se disseminado, uma vez que os consumidores se sentem mais seguros após conhecerem a opinião de terceiros – mesmo que desconhecidos -, que avaliam o produto de maneira positiva.

De acordo com a Nielsen , nada menos que 92% dos consumidores levam as avaliações em consideração antes de fechar o negócio. A opinião de clientes (ou supostos clientes) é mais relevante do que qualquer anúncio publicitário, e isso é ainda mais importante quando se trata de comércio on-line.

Facilidade de informação

“Em um e-commerce, o consumidor não tem acesso ao produto em si, apenas a fotos e vídeos. Mas, por outro lado, existe maior facilidade de informação, pois é possível interagir com outros compradores”, destaca Thiago Porto, especialista da PROTESTE.

Justamente por perceberem isso, muitas empresas passaram a estimular as resenhas de seus clientes. O grande problema, no entanto, é quando essas avaliações são falsas. Afinal, como identificar as fake reviews?

O que são as fake reviews?

As avaliações de produtos e serviços na internet são comuns e, de fato, contribuem para a decisão de outros consumidores. Quando compramos algo on-line, é comum recebermos um e-mail solicitando a avaliação da mercadoria e do atendimento. Assim, essas informações ficam disponíveis para qualquer pessoa consultar, seja no site da empresa fornecedora, seja em plataformas de e-commerce.

As informações na internet também podem ser encontradas em fóruns especializados sobre produtos e serviços específicos. “Blogs, canais no YouTube e posts no Instagram são ferramentas utilizadas para usuários mostrarem as suas análises”, diz Thiago.

Até mesmo influenciadores digitais podem determinar a decisão dos consumidores, por meio de suas postagens e opiniões divulgadas. Porém, é fundamental que o consumidor entenda que, muitas vezes, essas pessoas são pagas para divulgarem os produtos e serviços, e sua resenha não é, necessariamente, sua opinião real.

Aliás, é o mesmo que acontece em propagandas divulgadas em outras mídias. A diferença é que, atualmente, o consumidor consegue discernir melhor o que é publicidade em veículos como jornais, revistas ou televisão. Já quando um influenciador ou suposto cliente posta uma resenha em seu canal digital, normalmente quem assiste confia na sua avaliação.

Por essa razão, é importante que os consumidores entendam que existem diferenças importantes entre avaliações espontâneas e resenhas estimuladas (nesse caso, com a oferta de algum tipo de benefício).

Confira as dicas da PROTESTE para driblar as avaliações falsas

Antes de comprar produtos ou contratar serviços na internet, observe pontos importantes que ajudam a identificar se as avaliações são falsas:

a) observe se na página do fornecedor há diversas avaliações (positivas ou negativas) em um curto espaço de tempo, com linguagem semelhante e listando os mesmos benefícios (ou problemas);

b) confira se existem críticas de usuários com fotografias idênticas ou semelhantes (muitas vezes, as fotos utilizadas vêm de bancos de imagens);

c) tenha atenção a comparações negativas do produto de um concorrente, com menções do tipo: “prefiro esse a outro”, principalmente sendo itens de maior valor agregado;

e) desconfie de várias resenhas de cinco estrelas com conteúdo muito curto. Em geral, quando alguém satisfeito com o produto ou serviço se dispõe a redigir uma crítica, a possibilidade de descrição de detalhes, benefícios e facilidades de uso é maior;

f) desconfie também de elogios em demasia, em especial se for uma característica que dificilmente seria ressaltada;

g) tenha um pé atrás quando observar o uso persistente do nome completo do produto, bem como uma linguagem repetitiva, que pode significar uma tentativa de aplicar palavras-chave para fins de SEO (facilidade de ser buscado pelo Google);

h) tenha cautela com resenhas positivas deixadas postadas no dia de lançamento do modelo no site de vendas ou logo em seguida a esse fato;

i) desconfie também de comentários que não estão anexados a uma compra “verificada”, o que significa que quem redigiu pode nem ter adquirido o produto.

Estratégia

Assim, para ter segurança na hora da compra, a melhor estratégia é pesquisar em mais de uma fonte e não apenas na resenha presente na página da empresa. “Acesse blogs, fóruns, vídeos no YouTube, relatos em redes sociais, confira a experiência de amigos e familiares e, principalmente, verifique os resultados de testes comparativos de produtos e serviços de organizações especializadas, como a PROTESTE”, orienta Thiago. Para mais informações entre no site da PROTESTE.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS