AUTOR

TEMPO DE LEITURA

2.4 min

PUBLICADO EM

05/02/2017

Antes de tudo, que fique claro que esse não é um texto direcionado a oradores, palestrantes, pessoas que necessitam falar a um grande público, mas sim para qualquer pessoa que precise usar a comunicação no seu dia a dia. Você conhece alguém que não precisa? Então: o que seu corpo anda dizendo enquanto você fala?

Quando o assunto é profissional a comunicação interpessoal de qualidade entre aqueles que fazem parte da empresa é determinante para o bom andamento dos trabalhos.

Nos comunicamos por meio da oralidade, pela linguagem escrita, pelos nossos gestos, nossa aparência e principalmente, pela postura corporal, que é uma das formas mais antigas e naturais de comunicação entre os seres humanos. Essa forma de comunicação transmite nossas sensações e emoções através de gestos, expressões faciais, postura, tom de voz ou até mesmo do nosso modo de andar.

Pensando nisso, eu separei essas dicas relacionadas a comunicação não verbal, mais especificamente relacionadas a postura corporal:

Estabeleça contato visual

Isso propicia uma conexão, passa a mensagem de que você é confiável e ainda, demonstra interesse pelo seu interlocutor – só não exagere na dose, para não constrangê-lo.

Gesticule de forma cuidadosa

Preste atenção no que suas mãos estão “dizendo” enquanto você fala. Alguns gestos podem ser muito eficazes para enfatizar determinados pontos (gestos abertos), enquanto outros podem ser uma distração ou até mesmo soar ofensivamente (braços cruzados, dedos das mãos entrelaçados, mãos na cintura).

Postura

A postura deve ser ereta, com os ombros jogados para trás e a cabeça erguida. Quando você inclina sutilmente o tronco para frente, demostra interesse. Ombros caídos e desalinhado, podem passar a ideia de desânimo, insegurança.

Linguagem corporal

Avalie se a sua linguagem corporal está em sincronia com a sua mensagem. Por exemplo, se você está falando dos resultados positivos da equipe, mas estiver com ombros caídos, é possível que você comunique desânimo, e essa ambiguidade pode gerar insegurança e botar em cheque a credibilidade das informações.

Cuidado para não perder o foco

Não tente ler muito a linguagem corporal do seu interlocutor. Isso tanto pode fazer a pessoa sentir-se desconfortável, quanto fazer com que você perca a sua linha de raciocínio.

Não perca a naturalidade

Mesmo que fosse possível controlar a nossa linguagem corporal como ensinam os livros, isso soaria falso. Embora existam certos aspectos da linguagem corporal que podem ser melhorados para criar uma mensagem mais eficaz. Você ainda precisa agir como você mesmo, e não como um robô.

karlagiacomet.com.br

Karla Giacomet, consultora de imagem

Outras colunas em Imagem Pessoal

Publicado no Aeroporto Jornal – fevereiro/2017

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS