AUTOR

TEMPO DE LEITURA

3.3 min

PUBLICADO EM

05/06/2016

Ainda não é fácil achar muitos entusiastas de veículos chineses no Brasil devido a uma reputação negativa trazida pelos inúmeros problemas das primeiras unidades comercializadas por aqui. Felizmente isto está mudando rápido. Uma prova é o recém lançamento da JAC Motors, o T5, testado pelo Aeroporto Jornal que em sua versão mais completa custa    R$ 71.990,00. Ele parte de R$ 59.990,00 na versão de entrada.

Exterior e mecânica

O JAC T5 é um SUV compacto com design marcante, carroceria bem construída sem desvios de alinhamento e uma mecânica muito bem cuidada. Com o motor Jetflex 1.516v VVT de 125/127 cv, desenvolvido pela austríaca AVL, que aliado a seis anos de garantia, pode ser o carro chefe para trazer boas vendas, firmar a marca e até incomodar a concorrência, cabendo ao pós-vendas trazer a segurança que o cliente almeja.

Ele traz de série muitos equipamentos de conforto e segurança presentes em carros top de linha como o controle de tração e estabilidade, frenagem com ABS, EBD e BAS, monitor da pressão dos pneus, abertura interna do porta-malas e do tanque e para quem têm crianças, dois engates Isofix. Destaco a precisa direção elétrica com endurecimento gradativo, freios a disco nas quatro rodas e o HSA, um assistente de saída em rampas que funciona com perfeição, não deixando o carro se mover até a tração ser acionada. Possui nesta versão luz diurna em led, câmera de ré, sensor de estacionamento e alarme. Falta um protetor de cárter para proteger o motor de pedras e lama.

Nos quatro dias de teste enfrentamos temperaturas ao amanhecer abaixo de 5ºC e mesmo abastecido com álcool ele pegou de primeira, sem um engasgo sequer. Nada do obsoleto tanquinho extra de gasolina pois ele utiliza um sistema que aquece o combustível antes de ser injetado. Pontos para a JAC.

Equipado com pneus GitiComfort 221 v1 205/55R15V em rodas de liga aro 16 e câmbio de seis marchas, ele roda macio e é econômico, o que ajuda na autonomia pois seu tanque é de apenas 45 litros. Fizemos a excelente média de 9,5 km/litro de etanol em um percurso misto de 380 km.

Interior

O painel é amplo, de plástico duro mas bem acabado, com detalhes em cinza claro que acompanham os puxadores das portas e o centro do volante. Este traz somente os controles do rádio e telefone, sem iluminação. Com bom espaço para cinco ocupantes, tem bancos de couro preto com costuras vermelhas, cintos de três pontos com apoio de cabeça para todos os passageiros e um porta malas de 600 litros.

É modesto com os porta objetos mas tem descansa braço dianteiro e porta óculos ao lado do motorista. Sua central multimídia é touch com tela de oito polegadas, espelhamento do celular desde que compatível e possui as entradas USB e hdmi.

Saliento as palhetas flatblade, silenciosas e de máxima eficiência e o próprio para-brisa, com faixa degrade incorporando a antena do rádio impressa em filamentos. O ar condicionado é digital e bem dimensionado. Contudo o display do JAC T5 de cristal líquido com iluminação azul é pequeno e também traz a informação de temperatura externa, só que é difícil de ver, e caso o aparelho esteja desligado, você fica sem a informação.

Uma solução seria transferir o controle do ar para a grande central multimídia e a temperatura externa junto ao display do computador de bordo, que apesar de ter ótimas e precisas funções, o comando de ajustes fica em uma haste no meio dos instrumentos, impossibilitando alterar os dados com segurança enquanto dirige.

O veículo foi cedido pela concessionária JAC Motors.

Carlos Fernando Schrappe Borges

Publicado no Aeroporto Jornal – junho/2016

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS