AUTOR

TEMPO DE LEITURA

2.2 min

PUBLICADO EM

20/10/2021

A Azul vai transformar o Paraná no Estado com maior conectividade entre aeroportos. Quatro destinos – Guarapuava, Pato Branco, Ponta Grossa e Toledo – retornam à malha aérea da companhia agora em dezembro e passagens já estão sendo vendidas. Hoje, a Azul voa para Cascavel, Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina e Maringá.

Os voos para Ponta Grossa, Toledo, Pato Branco e Guarapuava serão cumpridos três vezes por semana, às segundas, quartas e sextas, com as aeronaves modelo ATR 72-600, para setenta clientes. A partir de março de 2022, a expectativa da companhia é estar presente nestas cidades com frequências diárias. A novidade em Toledo é que a operação será para Campinas, onde está o centro de conexões da Azul, e não para Curitiba.

Em reunião realizada ontem, 19 de outubro, entre representantes da Azul e o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior, definiu que a partir do ano que vem a companhia vai estar presente em mais onze regiões do Estado: Umuarama com os aviões ATR e Guaíra, Paranavaí, Francisco Beltrão, Cornélio Procópio, União da Vitória, Cianorte, Campo Mourão, Telêmaco Borba, Arapongas e Apucarana com Cessna Gran Caravan da Azul Conecta para nove passageiros.

Confirmando-se essas operações, a Azul teria vinte destinos atendidos no Paraná, o que tornaria o Estado com o maior número de cidades operadas pela companhia no Brasil. Esse plano faz parte do fortalecimento da malha da Azul em Curitiba, formando um novo hub regional, com mais de cinquenta movimentos diários.

Durante as negociações, a empresa recebeu o comprometimento das prefeituras de Ponta Grossa, Toledo, Pato Branco e Guarapuava para a implementação de importantes instrumentos de auxílio à navegação aérea: o IFR-IMC, procedimento que permite a operação dos voos mesmo em condições meteorológicas adversas, e o Papi, sistema de luzes que provê auxílio visual da cabeceira da pista do aeroporto.

Com essas estruturas, a Azul poderá aumentar a regularidade de seus voos, diminuindo as chances de cancelamentos e evitando a suspensão de operação no futuro em função da meteorologia desafiadora na região Sul do país. Esses equipamentos também provêm a possibilidade de frequências em horários mais convenientes e durante a noite, já que eliminam eventuais restrições do departamento de segurança de voo da empresa.

Fonte: Azul Linhas Aéreas

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS