AUTOR

TEMPO DE LEITURA

5.1 min

PUBLICADO EM

09/11/2020

Uma oportunidade para conhecer ainda mais os vinhos chilenos: até o início de dezembro evento on-line terá palestras, degustações, lives e entrevistas com enólogos chilenos de vanguarda. A programação do Novo Chile On-Wine começou no início do mês mas todas as lives estarão neste link  ou neste. Veja a programação aqui.

Especialistas brasileiros como Marcelu Dvin e Fabiana Knolseisen recebem enólogos e empreendedores por detrás das vinícolas Alchemy, BO Wines, Erasmo, Laura Hartwig, La Recova, OWM, Trapi e Villalobos.  Estas empresas atuam em terroirs selvagens, microclimas diferenciados, com resgate de uvas centenárias e modelos de produção livres e sustentáveis.

“O Brasil é apaixonado pelo vinho chileno, mas pouco conhece os apaixonantes rótulos elaborados em escala humana”, comenta David Giacomini, curador do evento e único brasileiro entre os produtores da Importadora Novo Chile. Apesar do país responder por 46% do total das importações brasileiras da bebida, menos de 0,5% são de vinícolas independentes.

“Queremos apresentar a nova cara da vitivinicultura do país. Temos brancos, rosés, tintos e espumantes de altíssima qualidade e que, verdadeiramente, refletem não somente a territorialidade de suas áreas produtivas, mas o que de melhor se pode fazer no Chile hoje”, complementa Giacomini, que produz brancos de guarda na La Recova.

Além do conteúdo gratuito, todos os participantes desses encontros virtuais terão acesso a cupons de desconto para adquirir os produtos destes vinhateiros com preços especiais no site www.dagirafa.com.br.

O revolucionário Novo Chile

Novo Chile: vinícolas de vanguarda

Apesar de funcionarem em escala humana, as oito vinícolas representadas pela Importadora Vinhos Novo Chile têm seus rótulos anualmente premiados por publicações e especialistas, como Patricio Tapia (Descorchados), Tim Atkin (Master of Wine), James Suckling e Robert Parker.

Foi a consagrada crítica de vinhos Jancis Robinson que, em uma de suas colunas, declarou estar enxergando uma “revolução” no país através destes pequenos vinhateiros: “Os velhos estilos, as antigas denominações e os produtores conhecidos até agora estão sendo desafiados por uma nova geração”.

A proposta de cada uma

Vinícola Alchemy – Eleita a melhor vinícola de pequenas produções do Chile e detém o melhor Carménère no Catad´Or de Santiago. Com vinhedos no Vale de Almahue, na região de Cachapoal, traz vinhos 100% artesanais: com colheita e desengace manuais, fermentação com leveduras selvagens, trasfega por gravidade para barris de carvalho francês e engarrafados sem filtragem ou estabilização. Para beber: Alchemy Gran Cuvee (93 pontos no guia James Suckling) e Parroné Syrah.

 

Vinícola BO Wines (Best Origin Wines) – Tem um trabalho de resgate de castas patrimoniais, trabalhando principalmente com videiras centenárias de Carignan da região do Maule e que sobreviveram anos sem manejo. Todos os seus vinhos são premiados, com destaque para o Carae (revelação da Guia Descorchados, 93 pontos no James Suckling, 90 Tim Atkin e 90 Robert Parker), Malcriado (blend de Cabernet Sauvignon e Carignan), Fillo Carignan e Fillo Malbec.

 

Vinícola Erasmo – Esta vinícola é de propriedade do Conde Francesco Marone Cinzano, com tradição familiar no ramo da vitivinicultura e responsável pelos Brunellos di Montalcino da grande Col d’Orcia. No Vale do Maule, produz vinhos de tratamento orgânico e ao estilo do Velho Mundo. Para beber: Erasmo 2019 (91 pontos James Suckling e destaque na lista dos Melhores Blends do Chile pelo Guia Descorchados), Erasmo Rosé de Mourvedre (Melhor Rosé do Chile pelo Guia Descorchados) e Erasmo Garnacha Alicante.

 

Vinícola Laura Hartwig – Localizada no Valle de Colchagua, é uma das mais premiadas da atualidade. Tem 145 hectares plantados de Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Carménère, Malbec, Syrah e Petit Verdot, com uma viticultura sustentável e de baixo impacto. Todos os seus vinhos receberam pontuações acima de 90 em listas e guias. Atenção ao Laura (96 pontos no James Suckling e considerado um dos 100 melhores Vinhos do Chile pelo especialista), Laura Hartwig Edición de Familia (também no Top 100 James Suckling), Laluca Malbec e Laluca Merlot.

 

Vinícola La Recova – A La Recova fica na região mais fria do Vale de Casablanca e tem suas plantações em ladeiras empinadas de tirar o fôlego, com videiras separadas por apenas 80 cm. É o vinhedo de Sauvignon Blanc de maior densidade de plantação do Chile. Para beber: Avid Sauvignon Blanc (95 pontos no Guia Descorchados) e Obstinado Rosé Demi-sec.

 

Vinícola OWM – Uma vinícola de pequeníssima produção; com colheita, desengace e vários outros processos feitos manualmente. Está localizada no Vale de Panamá, no Vale de Colchagua, local que possui um microclima que a diferencia dos demais vinhedos da mesma região. Para beber: OWM Handmade, um blend único de seis castas com estágio de 15 meses em barricas de carvalho (90 pontos James Suckling) e Pillo de Panamá, blend de Cabernet-Syrah criado em tanques de cimento (92 pontos James Suckling).

 

Vinícola Trapi del Bueno – Localizada no Vale de Osorno, na Patagônia Chilena, produz vinhos frescos e elegantes em um dos territórios mais extremos e frios do país. Seu trabalho é artesanal: colheita e seleção dos cachos são manuais, uso de pisa pé e de leveduras selvagens, além de engarrafamento sem filtração. Para beber: Trapi Hand Made 2017 (91 pontos Tim Atkin e 93 pontos no Guia James Suckling, considerado um dos 100 melhores vinhos do Chile pelo crítico) e Pinot Noir Savage.

 

Vinícola Villalobos – Com videiras centenárias que crescem e frutificam soltas no meio do mato, a Villalobos se destaca pelo vinhedo mais próximo de seu estado natural, sem intervenção humana e colheita feita com escadas em cima das árvores. Para beber: Villalobos Carignan (92 pontos na escala Robert Parker e considerado um dos melhores varietais da uva pelo Guia Descorchados), Lobo Carménère e Zorrito Salvaje.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa

Compartilhe essa história:

COMENTÁRIOS